Não há produtos em seu carrinho.

Modernos e estilosos

Velho Mundo ou Novo Mundo? No final das contas, qual é o melhor? Na verdade, não existe o melhor, existe o diferente. O melhor mesmo é que, no mundo do vinho, podemos aproveitar as particularidades destes dois mundos.

Quando falamos de vinhos modernos, não estamos, necessariamente, falando de vinhos novos, mas sim de vinhos que aliam técnicas atuais de vinificação com as qualidades clássicas que um bom vinho deve ter, muitas vezes quebrando paradigmas e nos surpreendendo. São novas vinícolas e vinícolas tradicionais, elaborando o melhor que se pode fazer, respeitando seus terroirs, a natureza das uvas e a tradição sem perder o frescor e a criatividade.

Nesta seleção você encontra exemplares do Velho Mundo como o Le Sughere di Frasinello, um tinto italiano que foi avaliado com maestria pelo guia Gambero Rosso como um vinho que “preenche a boca com grande energia”. É um super-segundo vinho de Rocca di Frassinello, produzido na região de Maremma, com as castas francesas Cabernet Sauvignon e Merlot – as mesmas usadas pelo mítico produtor Château Lafite – adicionadas de 50% de Sangiovese, a uva emblemática da Toscana e de Castellare di Castellina. Um belo tinto, maturado 12 meses em barricas francesas que mostra todo o potencial desta nova vinícola.

Representando o Novo Mundo, o Kaiken Terroir Series Corte, da Argentina, traz toda a competência e ousadia do enólogo Aurelio Montes Jr, que combinou as castas Malbec, Bonarda e Petit Verdot para criar este novo e sofisticado vinho tinto que une a exuberância, aristocracia, notas florais e textura cremosa da Malbec no palato, com as deliciosas notas de frutas silvestres da Bonarda, em um corte elegante e equilibrado.

Da África do Sul, o Pinot Noir de Robertson Winery mostra o lado fresco e cheio de notas de frutas silvestres da casta, pois é elaborado com apenas uma breve passagem em toneis de madeira. O resultado é um tinto surpreendente que acompanha muito bem carnes leves e até peixes!

Ainda podem ser encontrados vinhos do Chile, Espanha e outros países, e suas mais diversas regiões, provando que bom gosto, criatividade e ousadia podem andar lado a lado com a tradição e o respeito aos bons vinhos.