Não há produtos em seu carrinho.

Vinhos pontuados

A pontuação de vinhos é um tema, de certa forma, complexo e, eventualmente, pode causar alguma confusão. Como existem diversos critérios de avaliação e muitas variantes envolvidas: sensibilidade de cada crítico a determinado tipo de vinho, as características olfativas e gustativas, coloração, origem da uva, tipicidade de cada região, entre outras, tudo pode parecer bem subjetivo.

Porém, se existem milhares de tipos de vinho no mundo, cada um deles possui suas especificidades que precisam ser organizadas por categorias, facilitando a procura do consumidor que tem dúvidas sobre o produto que está buscando. Nesse momento entendemos a importância do trabalho do crítico enólogo e do sistema de pontuação, já que ele pode ajudar o comprador nessa busca pelo vinho perfeito, levando em conta determinadas características e ocasiões em que ele será degustado.

Existem alguns críticos no segmento que são mundialmente conhecidos por avaliar e pontuar vinhos e, por conta desse reconhecimento gerado pela sua alta especialização, tem opiniões que servem como guia para os apreciadores comuns. Atualmente, os conhecedores com maior credibilidade são Jancis Robinson e Robert Parker. Críticos que têm suas opiniões levadas como garantia de qualidade (quando aprovam os exemplares) e servem como guias aos milhares de consumidores ao redor do mundo.

A primeira avalia exemplares do mundo todo e utiliza um sistema de nota que chega até 20 pontos. O segundo, desenvolveu um sistema inovador de avaliação com um princípio de 100 pontos ostensivamente aceito no segmento - passando inclusive a ser utilizado por outros especialistas.

No sistema de pontos de Parker, os vinhos avaliados começam a ser analisados a partir dos 50 pontos, que servem como uma base mínima de pontuação. Posteriormente, a análise acrescenta até 5 pontos para visual, 15 para o olfato, 20 para o paladar e 10 para capacidade de envelhecimento e a qualidade de modo geral. A princípio, todo vinho avaliado já possui alguma relevância, até mesmo os que possuem pontuação abaixo de 90. Nesse sistema, é possível dividir as pontuações nas categorias a seguir:

- 50-59: vinhos com grandes falhas, inaceitáveis (geralmente não entram na lista)
- 60-69: vinhos com grandes falhas, não recomendáveis (geralmente não entram na lista)
- 70-79 vinhos com falhas aceitáveis
- 80-84 vinhos acima da média a bons
- 85-90 vinhos bons a muito bons
- 90-94 vinhos superiores a excepcionais
- 95-100 vinhos referência ou clássicos

É importante reiterar que a avaliação do vinho, apesar de todos os critérios técnicos e da relevância dos profissionais para o segmento, não deixa de possuir a subjetividade do gosto pessoal. Dessa forma, os quesitos avaliados levam mais em conta a qualidade de produção e se tudo está em conformidade do que se espera de um vinho fabricado em determinada região e com determinada uva. Sendo assim, não precisamos nos tornar reféns de vinhos com pontuação muito alta: o vinho ideal é aquele que verdadeiramente nos agrada, independente do preço ou avaliação.