Não há produtos em seu carrinho.

Vinhos bons e baratos

Por mais que a sobriedade e elegância do mercado de vinhos possa fazer parecer o contrário, encontrar exemplares de qualidade com preço acessível e bom custo-benefício não é uma tarefa impossível. Ainda que não sejam comuns vinhos excepcionais e raros em faixas de preço mais baixas, é possível encontrar alguns rótulos bem elaborados, com produção correta e, em alguns casos, até mesmo surpreendentes, agradando inclusive paladares mais exigentes e treinados.

Para pesquisar exemplares com boa relação entre qualidade e custo, o ideal é considerar produtoras grandes e com alta produção e safras mais recentes, a partir de 2010, que devem ser consumidos mais rapidamente.

No geral, vinícolas localizadas no chamado Novo Mundo, uma designação que leva em conta os países situados na América e Oceania, realizam um trabalho de produção em larga escala, um fator que torna o processo menos custoso e menos demorado. É um estilo mais flexível de cultivo e fabricação, sem grande exigência para que seja totalmente adaptado às tradições de cada região e não precisam seguir a regulamentações muito restritivas.

O cultivo das castas também conta com certa abertura nos processos. Considerando a vitivinicultura como uma técnica relativamente nova em países do Novo Mundo, começando a se destacar no segmento após a década de 70, as vinícolas podem ser adaptadas a determinada casta ou até mesmo interferir nas características naturais do vinho, conseguindo atender às especificações exigidas de maneira satisfatória para o consumidor.

A tecnologia é grande aliada na fabricação desse tipo de vinho, sendo utilizado de maneira massiva nos últimos anos. Os vinhedos, antes mesmo de serem cultivados, já são projetados para receber interferência tecnológica na irrigação, ao contrário dos países europeus que priorizam o solo para plantio, microclima, altitude, entre outros fatores.

Todas essas variáveis resultam em processo de cultivo, colheita, produção e envasamento mais massificados, permitindo a fabricação e disponibilização de grande quantidade do produto final no mercado especializado.

O conceito principal desse trabalho é produzir vinhos agradáveis, corretos e fáceis de beber. Apresentam sabores e aromas exuberantes, frutados e com importantes notas de carvalho. Macios no paladar, contam com acidez mais moderada em comparação aos exemplares europeus, já que são majoritariamente produzidos em locais quentes.

Entre as principais regiões do Novo Mundo que se destacam no segmento estão Estados Unidos, Chile, Argentina, Uruguai, Brasil, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, China, Índia, México e Canadá, que produzem vinhos de boa qualidade direcionados tanto para seus mercados locais quanto para a exportação.

Ainda que menos complexo nos sabores e aromas, o vinho considerado “barato” (mas que obedece a exigências mínimas de produção) vale a oportunidade de ser apreciado, já que apresenta todas as características necessárias para ser enquadrado nos critérios estabelecidos pelos melhores especialistas.

Gradativamente, apesar das diferenças nos métodos de cultivo e produção, os vinhos mais jovens e menos custosos caminham para ascensão nos mercados mais competitivos como uma opção mais acessível e de alta qualidade. Na Vinci você só encontra rótulos com essas características e muito bem avaliados pelos maiores profissionais do segmento.