Não há produtos em seu carrinho.

Vernaccia

O nome Vernaccia é a forma pejorativa para a palavra “vernacolo” que, segundo o dialeto italiano significa “língua nativa” ou “dialeto comum/popular”. Nos tempos antigos, essa denominação era usada também para distinguir inúmeras uvas brancas italianas que não possuíam um “nome próprio”.

Trata-se de uma história muito parecida com a da cepa Malvasia (Malvoise em inglês ou Malmsey em francês). A variedade recebeu esse nome por consequência do porto de Manemvasia, situado no Peloponeso, local por onde os vinhos chegavam em navios.

A uva Vernaccia é cultivada em diferentes regiões vinícolas da Itália, onde recebe muitas vezes o sobrenome da área onde é plantada, como por exemplo a uva Vernaccia “di San Gimignano”, cultivada em Sardegna, e a cepa Vernaccia “di Oristano”, plantada na região da Toscana.

A grande parte das uvas Vernaccia são castas brancas que dão origem a vinhos brancos com colorações mais claras e reluzentes. Contudo, também é possível encontrar uvas tintas Vernaccia, conhecidas como Vernaccia Nera ou Vernaccia Negra, responsáveis pela elaboração de vinhos tintos conhecidos, como o rotulo com a denominação de origem Vernaccia di Serrapetrona, área central da região de Marche.

No lado oeste da ilha da Sardegna, a Vernaccia é conhecida como Granazza, podendo ser confundida com a uva tinta mais cultivada na região, a Grenache. Contudo, de acordo com as denominações regionais, a cepa Grenache é conhecida também como Cannonau, característica esta que diminui a probabilidade de possíveis confusões. Além disso, as uvas Vernaccia são conhecidas também como Guarnacia, Vernazza e Bergamasca.

A comuna de San Gimignano, situada em Siena, elabora alguns dos melhores vinhos italianos, entre eles, os produzidos com a uva Vernaccia. O vinho Vernaccia di San Gimignano é um exemplar leve, seco, com boa acidez, bastante agradável e muito persistente.

Na lista entre os melhores vinhos brancos da Itália, o Vernaccia di San Gimignano é produzido com, no mínimo, 85% da casta. Os estilos mais modernos deste vinho, rotulados com sob esta denominação de origem, são envelhecidos em barris de carvalho, contribuindo para o melhor desenvolvimento de aromas mais complexos e minerais.