Não há produtos em seu carrinho.

Traminer Aromatico

Traminer é um nome que pode ser usado para se referir a um grande número de antigas variedades de uva europeias. Historicamente falando, a denominação foi usada para descrever a família germânica de variantes de Traminer, ou como um sinônimo para um membro-chave dessa família, a Gewurztraminer.

A história de Traminer é longa e complicada, com cada uma de suas regiões tradicionais de crescimento oferecendo nomes diferentes e histórias para a casta local.

Assim como a família Pinot, à qual a Traminer está intimamente ligada, a família Traminer é altamente propensa à mutação. Várias formas de Traminer apareceram em toda a Europa e, mais tarde, nas regiões vinícolas do Novo Mundo, dando origem a algumas das uvas viníferas mais famosas do mundo, como a Cabernet Sauvignon, a Merlot e a Chenin Blanc. Todas são, em última análise, descendentes das primeiras variedades Traminer. Dessa forma, fica um pouco mais fácil compreender a extensão impressionante da história Traminer e sua diversidade genética.

Traminer vem de Tramin (Termeno), o nome de uma cidade dos Alpes do Alto-Adige, na Itália.
Embora esta hipótese seja agora refutada por várias autoridades ampelógrafas, é fato que as uvas Traminer foram cultivadas em torno de Tramin por cerca de 500 anos, entre os séculos 11 e 16. No final da Idade Média, a presença de Traminer na Alsácia está documentada, embora haja poucas evidências de como ele desceu das montanhas para o Vale do Reno. Parece mais provável que Traminer chegou à Alsácia vindo de Pfalz, na Alemanha, onde uma variante particularmente perfumada tomou o prefixo "gewurz" ("picante" em alemão) – começando assim o legado da Gewurztraminer.

As cores e sabores dos vinhos Traminer variam consideravelmente, dependendo do subconjunto a qual pertencem. O exemplo mais proeminente é, sem dúvida, a Gewurztraminer, que também produz alguns dos vinhos mais profundamente aromáticos do planeta. Menos conhecido é a Roter Traminer de cor rosa-escura (também conhecida como Red Traminer, Savagnin Rosé e Klevener de Heiligenstein), que produz vinhos brancos intensamente aromáticos, às vezes com uma tonalidade rosada fraca.

As castas da família Traminer provaram ser tão geneticamente instáveis que é quase impossível rastrear sua ascendência com qualquer grau de certeza. Mesmo a White Traminer e Savagnin Blanc, que agora são aceitas como sendo a mesma uva, exibem diferenças sutis na estrutura da folha, dependendo de onde são cultivadas. Como consequência, há literalmente centenas de sinônimos para as uvas da família Traminer, entre eles: Auvergne Branco, Branco Bom, Forman, Fromenteau, Gentile Branco Schleitheimer, Ryvola Bila.