Não há produtos em seu carrinho.

Roussanne

Roussanne é uma uva branca nomeada de acordo com a coloração da sua pele após estar madura. Isto é, a variedade adquire um pigmento “vermelho-ouro” que equivale a palavra francesa “roux”, em português, “avermelhado”.

Acredita-que a uva Roussanne tenha sido originada no norte da região do Vale do Rhône, onde a maior parte dos vinhedos da variedade é encontrado. Uma das principais uvas a participar da composição dos vinhos Roussanne é a casta Marsanne, principalmente, em vinhos brancos elaborados no norte do Rhône, conhecidos como Crozes-Hermitage, Hermitage e Saint-Joseph.

Mais ao sul do Vale do Rhône, a uva Roussanne é usada apenas em pequenas quantidades na elaboração dos tradicionais vinhos Chateauneuf-du-Pape, onde é uma das 13 variedades de uvas autorizadas para a produção tanto dos vinhos tintos quanto dos brancos. Na Itália, a Roussanne dá origem ao vinho Montecarlo Bianco e raramente aparece em outras partes do país.

Já no sul da França, sua terra natal, a uva Roussanne é extremamente beneficiada pelas altas temperaturas e longas horas de sol, alcançando a correta maturidade. Em regiões com climas mais frios, a Roussanne luta para amadurecer e concentrar seus bons aromas e sabores.

Os vinhos elaborados a partir da uva Roussanne apresentam aromas herbáceos, enquanto na boca denotam sabores típicos de mel e notável intensidade. A acidez dos exemplares pode variar de acordo com o tempo de maturação das uvas e, se deixada na videira por tempo a mais do que o necessário, seu vinho pode apresentar até 14% de álcool.

Quando a Roussane é misturada com a uva Marsanne, a variedade fornece excelente intensidade aromática a fim de complementar a estrutura e o corpo, visto que apresenta maior complexidade e riqueza do que sua parceira.

O vinho branco doce Vol Des Angel, do produtor Bony Doon, é elaborado com uvas atingidas pelo fungo Botritys cinerea tornando-se um vinho extremamente rico, doce e longevo. Trata-se de uma vinho branco doce californiano denso e complexo, classificado com 91 pontos por Steven Tanzer na safra de 2007, que o destacou como um vinho com “cativantes notas de geleia de laranja”.