Não há produtos em seu carrinho.

Bavaria

A Bavaria, ou o Estado Livre da Baviera (em alemão: Bayern ou Freistaat Bayern, Baviera: Boarn ou Freistoot Boarn), é um dos dezesseis estados federais da Alemanha e já teve status de reino. Hoje, continua a fascinar visitantes com seus charmosos vilarejos, picos cobertos de neve, casinhas coloridas com floreiras na janela e castelos que mais parecem terem saído direto de um conto de fadas.

Com os seus 70,551 km² e seus 12,5 milhões de habitantes, é o maior estado alemão por área, e a segunda para a população e importância econômica, após o North Rhine-Westphalia. A Capital e maior cidade é Mônaco da Baviera.

O lugar mais baixo da Baviera está localizado a uma altura de 107m acima do nível do mar, na Francônia. O mais alto é o pico do Zugspitze, que se encontra a 2.962m acima do nível do mar nas montanhas de Wetterstein, onde estão os Alpes Bávaros, que são também o pico mais alto da Alemanha.

A Baviera tem 2.056 municípios e conta com 215 casos excepcionais de áreas não-incorporadas, que não fazem parte de nenhuma cidade. As regiões vinícolas mais conhecidas são Franken (Francônia) e Sachsen (Saxônia) e o maior município é Munique.

A primeira região é muito conhecida pelos seus vinhos Silvaner, Pinot Blanc e Riesling engarrafados nas chamadas Bocksbeutel (literalmente, saco de bode), garrafas redondas e abauladas, características da região. Embora venha se notando o uso das garrafas no estilo Bordeaux e Borgonha cada vez mais. Os vinhos tintos da Francônia trazem o picante da uva Domina enquanto os vinhos brancos são naturalmente doces.

Já os vinhos da Saxônia, que fica a cerca de 280 quilômetros ao leste da Francônia e pode ser considerada a menor região vinícola do país, são também os Pinot Blanc e Riesling, exemplares brancos responsáveis pela criação de uma cultura enóloga secular. Os vinhos produzidos por lá são os mesmos vinhos saboreado pelos primeiros imperadores alemães, de reis Otonianos de Saxony a Martinho Lutero, 500 anos depois. A Saxônia possui uma variedade grande de castas – como a Goldriesling, uva que ainda é cultivada com exclusividade na região, porém a maioria dos vinhos que ela produz são consumidos no mercado interno e dificilmente chegam a ser exportados.