Não há produtos em seu carrinho.

Podere Monastero

A propriedade Podere Monastero situa-se em Castellina in Chianti, no coração da Toscana, cerca de 500 metros acima do nível do mar. Foi criada em 2000 pelo seu proprietário, o experiente enólogo Alessandro Cellai, com o único objetivo de fazer dois grandes e emblemáticos vinhos.

Os vinhedos ocupam uma área de 3 hectares, 1,5 dos quais utilizados para o cultivo da uva Pinot Nero, enquanto os restantes 1,5 são cultivados com a Cabernet Sauvignon (50%) e a Merlot (50%). A escolha da terra foi de fundamental importância, assim como a escolha dos clones e porta-enxertos, exigindo uma extensa pesquisa, que foi realizada entre os mais prestigiosos viveiros de plantas na França.

A Pinot Nero, embora tenha dificuldade em se adaptar às condições da Itália, é considerada uma das melhores castas do mundo, capaz de produzir vinhos de extraordinária elegância e harmonia. O desafio era produzir um excelente vinho em uma terra famosa por outras variedades de uva, mas não para esta variedade em particular. Para atingir o sucesso na empreitada, foi necessário abordar cada operação com meticulosa atenção, primeiro na vinha e depois na adega.

O impressionante La Pineta é considerado um dos melhores Pinot Nero da Itália, muito sofisticado, é elaborado na Toscana com uvas cultivadas de forma orgânica. O terroir mais fresco proporciona ao vinho grande elegância. Daniele Cernilli, que trabalhou para o Gambero Rosso e hoje escreve o Guia Doctor Wine elegeu o La Pineta 'o melhor Pinot Noir da Itália', concedendo 97 pontos na safra 2016. O vinho arrematou também 91 pontos de James Suckling e 90 pontos da Wine Spectator. Robert Parker destacou a "soberba profundidade e riqueza" do vinho, que é "um canhão", mas com "fantástica harmonia e toneladas de equilíbrio".

Já o Campanaio, o segundo vinho tinto da propriedade, é elaborado com um corte de Merlot e Cabernet Sauvignon, também de um minúsculo vinhedo de 1,5 hectares – com maior insolação para deixar as uvas perfeitamente maduras. Com grande estrutura e complexidade, em um estilo realmente maduro, foi classificado como “outstanding” por Robert Parker em sua safra inaugural. Para o crítico, esta é “sem dúvida uma vinícola que promete muito para o futuro próximo”.