Não há produtos em seu carrinho.

Cru classé (Pomerol/St. Émilion)

Cerca de oitenta anos antes da criação das denominações de origem em cada região vinícola da França, os negociantes e produtores já tinham estabelecido algumas hierarquias que determinariam a qualidade dos vinhos elaborados em cada uma delas.

Em meados do século XIX, ocorreu um notável aumento dos produtores na área e, devido à falta de parâmetros que não haviam sido estabelecidos, alguns destes enólogos se aproveitaram da enorme popularidade e qualidade que Bordeaux apresenta a fim de comercializar exemplares de qualidade baixa – fator que preocupava os proprietários de châteaux tradicionais.

A região de Saint-Émilion deu origem a sua própria denominação de origem no ano de 1955. Esta criação foi uma iniciativa de um sindicato local, que estabeleceu uma legislação mais simples do que as leis de outras regiões vinícolas. A classificação de Saint-Émilion dividia os vinhos em “Grand Crus” e “Premiers Grand Crus”.

A classificação de Saint-Émilion, estabelecida pelo órgão INAO, necessita passar por uma revisão de tempos em tempos, isto é, de dez em dez anos. No ano de 1954, a primeira classificação foi estabelecida e sofreu alterações logo em seguida, em 1958.

Em 2006, ocorreu a quinta classificação – que ainda está em curso – e existem dois tipos de denominação de origem (AOC, na França): a Saint-Émilion Grand Cru e a Saint-Émilion. No entanto, apenas os vinhos produzidos em Saint-Émilion Grand Cru podem ser rotulados como “Premier Grand Cru Classé” e “Grand Cru Classé”.

A região de Pomerol, área vinícola próxima a Saint-Émilion, também possui uma classificação própria, onde os exemplares podem ser divididos em “Grand Cru Classé” e “Premier Cru”. O vinho tinto Château Gazin, elaborado com as uvas Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon, é rotulado com a classificação de Pomerol e recebeu 90 pontos da Wine Spectator em 2008.